JOAQUIM

Livros & Discos

Mesa da Joaquim: Agosto, segunda semana

Livro da Matemática: De Pítágoras à 57a DimensãoClifford A. Pickover: Librero – Trata-se de uma viagem com Pickover, que descreve 250 marcos da história da matemática, desde os antigos «odómetros» das formigas e o primeiro ábaco à descoberta dos fractais gerados por computador e a procura de novas dimensões. Aqui estão incluídos alguns pensadores notáveis, de Pitágoras e Euclides a Martin Gardner, ícone moderno da matemática, e ao cosmólogo Max Tegmark. As entradas breves e concisas, cronologicamente ordenadas, podem ser assimiladas em poucos minutos, senda cada uma delas acompanhada de uma surpreendente imagem. «Para mim», escreve Pickover, «a matemática cultiva um estado perpétuo de encanto sobre a natureza da mente, os limites do pensamento e o nosso lugar neste vasto Universo.»

Apologia da História: ou o ofício de HistoriadorMarc Bloch: Zahar – Fuzilado pelos nazistas em 16 de junho de 1944 próximo a Lyon, Marc Bloch deixava inacabado um livro de metodologia, Apologia da História ou O Ofício de Historiador, – publicado pela primeira vez em 1949 por Lucien Febvre. Esta nova edição da obra póstuma de Marc Bloch, organizada e anotada por seu filho primogênito Étienne, apresenta o texto em sua integralidade e sem modificação alguma. Inclui também o prefácio de Jacques Le Goff à edição francesa e uma apresentação à edição brasileira, feita pela professora Lilia Moritz Schwarcz. Como ponto de partida, Marc Bloch aproveita a interrogação de um filho que lhe pergunta para que serve a história. Essa confidência familiar já revela de saída o cerne de uma de suas convicções: a obrigação de o historiador difundir e esclarecer. Ele deve, nas palavras do autor, “saber falar, no mesmo tom, aos doutos e aos estudantes”. Nem que fosse por essa única afirmação, Apologia da História permanece hoje em dia – quando o jargão hermético invadiu tantos livros de história – de uma atualidade espantosa.

Microfísica do PoderMichel Foucault: Graal – ‘Microfísica do poder’ é uma coletânea de artigos, cursos, entrevistas e debates, em que Foucault analisa questões relacionadas à medicina, à psiquiatria, à geografia, à economia, mas também ao hospital, à prisão, à justiça, ao Estado, ao papel do intelectual, à sexualidade, dentro outros temas. Esses textos têm como tema central o poder nas sociedades modernas – sua configuração, sua difusão no corpo social, seu exercício em instituições, sua relação com a produção da verdade, as resistências que suscita. Além disso, eles explicitam o método genealógico elaborado por Foucault para analisar como e por que os saberes se constituem a partir de práticas políticas e econômicas.

Tecidos e ModaJenny Udale: Bookman – apresenta os principais tecidos utilizados na fabricação de peças de vestuário e suas características com explicações concisas e exemplos de projetos contemporâneos. Dos tipos de fio aos processos de acabamento, do bordado à ornamentação, do design à produção têxtil, o leitor vai aprender o que precisa para escolher o tecido certo para suas criações.

A Biblioteca da PiscinaAlan Hollinghurst: Record – Primeiro romance de Alan Hollinghurst, no qual demonstra grande compreensão da arte e da natureza humana. A biblioteca da piscina usa as tradições da construção ficcional para fazer um relato das transgressões modernas, ambientado na Londres pré-Aids.

Diário da Guerra do PorcoAdolfo Bioy Casares: Cosac Naify – O autor narra a história de Isidro Vidal, um senhor aposentado que vive com seu filho em um populoso casarão e passa as noites com os amigos jogando cartas e bebendo fernet. Após um desses encontros, o grupo de amigos presencia a morte de um velho, assassinado a pauladas por um bando de jovens. O episódio revela uma onda de perseguição aos anciãos de Buenos Aires, considerados ‘lentos, inúteis e prejudiciais à sociedade’. Hordas de jovens saem às ruas para caçar e exterminar impiedosamente os velhos. Vidal e seus amigos então precisam reaprender a se movimentar pela cidade, transformada em um campo de batalha. Em meio à violência – real e simbólica -, o protagonista é surpreendido pelo amor de uma mulher mais jovem. Ao falar da passagem do tempo, de maneira delicada porém irônica, Bioy coloca em funcionamento alguns de seus mecanismos preferidos; a atmosfera de sonho, a construção rigorosa da trama, a prosa elegante e o fantástico do argumento.

Anúncios

Navegação de Post Único

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: