JOAQUIM

Livros & Discos

Autobiografia de Morrissey: Dez Trechos Divertidos

Morrissey-AutobiographyMorrissey, o líder e vocalista do The Smiths, até o final da banda e depois em sua carreira solo, sempre foi uma figura polêmica. Ao anunciar uma autobiografia o alvoroço não foi pouco e o burburinho aumentou quando a editora Penguin – que junto com a Random House formam o mais forte grupo editorial do mundo – anunciou que o livro do cantor iria figurar na coleção de Clássicos da editora. Isso mesmo, Morrissey seria vendido ao lado de Oscar Wilde – uma das suas grandes paixões – Jane Austen, Platão, Aristóteles entre outros.

Lançado em 16 de outubro, o livro já superou as vendas da biografia mais bem sucedida até hoje, a do guitarrista Keith Richards, dos Rolling Stones. Em apenas uma semana, Morrissey superou o best-seller previsto da temporada, o terceiro volume da personagem Bridget Jones.

the-queen-is-dead-the-smiths

“The Queen Is Dead”,álbum de 86 do The Smiths, considerado o melhor de todos os tempos segundo a Revista NME

A verdade é que Morrissey é uma das figuras do rock mais importantes dos últimos 30 anos, seja pela força de suas letras – como não amar o excelente álbum “The Queen is Dead” que essa semana ganhou status de melhor disco de todos os tempos? – seja por suas declarações polêmicas, seja pela sua ironia que pelo visto está presente na autobiografia que ele trabalhou nos últimos 10 anos.

Abaixo, algumas pequenas doses do que podemos aguardar do livro do Morrissey. Ansiedade por aí também?

morrissey2

1) Sobre seu estilo pessoal, p.397:
É terça-feira, estamos no Festival de Montreaux, na Suíça, onde eu não posso relaxar, porque o meu cabelo está muito comprido.

2) Na Áustria, p.399:
A Áustria exala um cheiro sedutor.

3) Sobre o Ramones, p.112

Enquanto os Ramones existiram no mundo, eu poderia aceitar todo sofrimento que viesse até mim. O vocalista Joey parecia que fora assassinado numa cama de hospital. Encontrei meu irmão gêmeo.

4) Sobre encontrar David Bowie, p.66:
Ao meio-dia ele surge de uma Mercedes preta, cada centímetro da oitava dimensão, cambaleando sobre saltos altos, com toda sabedoria de nossos antepassados. Sorrindo sutilmente, ele aceita o bilhete de um estudante bobo, cuja alma exagerada resplandece mais que o casaco da escola que ele veste, e assim eu toco a mão desse inexplicável reformador libertário; Ele, um visionário “Wildeano” prestes a remoldar a Inglaterra, e eu, um espectador sofrendo em um uniforme escolar azul.

5) Sobre compras, p.71
Na manhã seguinte ao Whistle Test eu mostrei 50 pences na Rumbelows, do Stretford Precinct e pedi pelo single do New York Dolls. “Veja” disse um assistente gordo para outro “Eu disse que alguém viria comprar”. Pelo menos eu era alguém!

6) Sobre George Best, p.27-8
Arbitrariamente analfabetos, jogadores de futebol permaneciam estagnados em suas aborrecidas posições sociais até que George Best falou, brincou e provocou e fez sentido…Meu pai me leva para ver George Best jogar em Old Trafford, e como eu vejo a perturbação apocalíptica de um pacífico redemoinho atravessando o campo, desmaio.

*George Best foi um jogador de futebol, reconhecido pela sua carreira no Manchester United.

7) Sobre Iggy Pop, Lou Reed e Patti Smith, p. 114
A sua contribuição para o pensamento os indica como nossos próprios Goethe, Gide e Gertrude Stein e isso nos diz que podemos ser seja o que for que buscamos – com vibrante ironia.

8) Sobre se tornar cantor, p.139-40
Eu poderia realmente dizer o que fazer? Dever versus poder? Será que eu continuo não tendo nenhuma responsabilidade sobre a minha vida? O caminho seguro é o único caminho?
…Somando forças, e eu, muito fundo para ser resgatado, canto. Contra o comando de todos que conhecia, eu canto! Minha boca vai de encontro ao microfone e o tremolo vibrante engole a sala numa afinação aceitável e…eu fui removido da definição de longevidade dos outros, e suas opiniões não importam mais. Eu estou cantando a verdade para mim mesmo, que também pode ser a verdade para outros…e me dou a vida inteira…para deixar a voz falar de uma vez por todas.
“Faça um som alegre até que o Senhor…”
Isso funciona! Uma voz de peito de barítono suave, e é tudo nosso.

9) Sobre batalhas legais, p.323:
Agora, nessa artificial e insubordinada Suprema Corte, eu venho sofrendo insultos suficientes de pessoas que só lucraram desde que me conheceram.

10) Sobre Medicação controlada, p.220
Eu subi a Harley Street de volta para reclamar com o médico que me receitou esta pilula terrível de humor, mas eu me disse que ele havia morrido e eu estou um tanto surpreso.

Via

*Tradução livre do artigo do The Telegraph

Anúncios

Navegação de Post Único

Uma opinião sobre “Autobiografia de Morrissey: Dez Trechos Divertidos

  1. Pingback: The Smiths e o Cinema – Parte 1 | JOAQUIM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: