JOAQUIM

Livros & Discos

Arquivo para a tag “loja de discos”

Elton John, ganha o título de lenda da Record Store Day

“É como entrar numa livraria e sentir o cheiro dos livros. Meu deus, quão bom é isso?”

Já são dez anos que a Record Store Day entrou para o calendário oficial da música mundial. Desde 2007 o terceiro sábado do mês de abril é aguardado por milhares de colecionadores e fãs do vinil espalhados pelo mundo. Apesar do dia oficialmente focar nos Estados Unidos, Inglaterra e alguns outros países, o clima é de festa em muitas lojas de discos espalhadas pelo mundo. Claro que estamos incluídos no grupo de entusiastas! Você pode saber mais sobre a história da data e sobre seus embaixadores nos links que vamos deixar no final desse texto.

Elton John se divertindo e engordando a coleção de discos.

Em 2017, para comemorar em alto estilo essa primeira década, a Record Store Day nomeou ninguém menos que Sir Elton John como a grande lenda do evento. O músico inglês deu um depoimento inspirado (você pode assistir aqui embaixo, sem legendas) contando desde os seu primeiro 45 rotações, falou da emoção de ter o disco 17-11-70 reeditado em vinil durante o evento e ainda descreveu todas as sensações que envolvem aquele prazer característico dos colecionadores. Ressaltou a importância não apenas da sonoridade do disco de vinil – que segundo ele diz, já gravou em muitos estúdios desde o começo da sua carreira e que sim, o som do vinil é o melhor – mas também de todo ritual de escolher o disco e colocar a agulha para trabalhar. Ir às lojas de discos procurar o disco certo para o momento é outro momento ressaltado, diz ele “Eu amo lojas de disco, posso ir a uma em Las Vegas e gastar três horas lá. Apenas sentir o cheiro, dar uma olhada, a maravilha das memórias.”.

Além da nomeação à lenda do evento, a Record Store Day chamou a cantora St. Vincent para ser a embaixadora do evento esse ano. Muitos lançamentos estão previstos para o dia e vários colecionadores já estão fazendo as suas listas. Por aqui vamos comemorar com um acervo caprichado, descontos e muita música rolando durante o dia inteiro. Acompanhe nosso evento no facebook e não perca esse dia em que os fãs do bolachão se encontram para celebrar esse amor em comum.

Mais sobre a Record Store Day

A história da Record Store Day
Jack White & Record Store Day
Dave Grohl, embaixador de 2015

Anúncios

Dave Grohl, o embaixador da Record Store Day 2015

dave-grohl-record-store-day-2015-embaixador

A Record Store Day, desde 2007, já se tornou uma tradição para os fãs e colecionadores de vinil. Apesar do evento oficial priorizar a América do Norte e a Inglaterra, várias lojas de discos pelo mundo afora organizam suas agendas para celebrar o bolachão e principalment seus clientes. Já escrevemos aqui a história do evento e sua importância no fortalecimento da cultura do vinil. A data se destaca por eventos que acontecem simultaneamente dentro de lojas e lançamentos oficias da data, normalmente reedições, b-sides, singles e outras edições especiais.

Todo ano é escolhido um embaixador para a data, alguém que seja um apaixonado pelo vinil e também que promova ações de apoio às lojas de discos. Já foram embaixadores grandes nomes como James Hetfield, Josh Homme, Ozzy Osbourne, Iggy Pop e ano passado, Jack White. Esse ano Dave Grohl (Foo Fighters) será o embaixador da Record Store Day e abaixo você pode ler a tradução da carta – uma tradição no evento – em que ele relata como se apaixonou pelo vinil e como essa paixão é e deve ser passada de geração em geração. Vida longa ao vinil!

“Eu descobri a minha vocação nos fundos de uma escura e empoeirada loja de discos.

Um “K-Tel’s Blockbuster 20 Original Hits by the Original Stars”, de 1975, com Alice Cooper, War, Kool and the Gang, Average White Band e outros, comprado em uma pequena loja de discos na minha suburbana vizinhança em Virginia, foi o disco que mudou minha vida e me fez querer ser um músico. O segundo que ouvi “Frankenstein”, de Edgar Winter, eu estava viciado. Minha vida havia sido mudada para sempre. Este era o primeiro dia do resto da minha vida.

Crescendo em Springfield, Virginia entre os anos 70 e 80, as lojas independentes de discos locais eram mágicas, lugares misteriosos em que gastava todo o meu tempo livre (e dinheiro), procurando o que poderia se tornar a trilha sonora da minha vida. Todo fim de semana eu mal podia esperar para pegar o meu suado dinheiro, cortando grama, e ter uma tarde cheia de descobertas. E a caçada era sempre tão boa quanto a captura! Eu passava horas folheando cada pilha, examinando o trabalho gráfico de cada capa, os títulos e créditos, procurando por músicas que pudessem me inspirar, ou me compreeender, ou simplesmente me ajudar a fugir. Esses lugares se tornaram meus templos, minhas bibliotecas, minhas escolas. Eles eram como um lar. E eu não sei onde eu estaria hoje sem eles.

Mais recentemente, eu tive sorte de redescobrir essa sensação de empolgação, o sentimento mágico de encontrar algo do nosso próprio jeito, vendo minhas crianças fazendo isso. Deixe-me te dizer: Nada me deixa mais orgulhoso do que ver minhas filhas colocarem para rodar o primeiro disco de Roky Erickson, que uma delas escolheu em uma loja de discos. Ou observar o grande respeito que elas têm ao segurar seus vinis dos Beatles. Como cuidadosamente elas colocam os discos em suas capas, tendo certeza que serão colocados de volta na sequência correta. Vendo-as perceber o quão fundamental e interligada cada parte dessa experiência é, eu revivo a mágica das minhas primeiras experiências com singles e álbuns em vinil, seu trabalho gráfico, encarte e etc.

Eu acredito que o poder que uma loja de discos tem de inspirar ainda vive e bem, que a sua importância para a nossa próxima geração de músicos é fundamental. Tire uma tarde (e um pouco da grana suada cortando grama) e por favor, os apoie.

Nunca se sabe, mas isso pode mudar a sua vida para sempre, também.

Dave”

Jack White & Record Store Day

Jack-White-Record-Store-Day-2013

O Record Store Day – que já falamos aqui – é um sucesso a cada ano em que acontece. Os sites especializados já dizem que 2013 foi o melhor ano desde que o evento começou em 2007. Em épocas que se anunciam os fins dos livros, da música e do além-virtual, eventos como o Record Store Day mostram que podemos conviver muito bem com as tecnologias e a boa virtualização da cultura e assim que desligarmos nossos computadores, tirar aquele LP da coleção, colocar a agulha para funcionar e simplesmente apreciar o momento.

Abaixo, segue na íntegra a bela carta que Jack White – o embaixador do evento esse ano – deixou para todos, fãs ou não de vinis. White pede que acordemos uns aos outros, afinal o mundo não parou de girar porque os computadores estão sempre ligados. Vale a leitura!

Anos atrás alguém me disse que 1.200 alunos de escolas participaram de uma enquete. Uma pergunta foi feita para eles: “Você já visitou uma loja de discos?”. O número de alunos que responderam “sim” foi… zero.

Zero? Como isso pode ser possível? Então, eu me questionei de forma realista: “Vocês podem culpá-los?”. Como lojas de discos (ou qualquer loja com a mesma finalidade) podem competir com Netflix, TiVo, video games que precisam de meses para serem finalizados, TV por assinatura, SMS, internet, etc. etc.? Se levantar de sua cadeira em casa para experimentar algo no mundo real começou a ficar algo raro e, para muitas pessoas, algo desnecessário. Para que ir em uma loja de livros e comprar um livro de verdade? Você pode baixá-lo. Para que falar com outras pessoas, discutir sobre autores diferentes, estilos de escrita e influências? Apenas dê um click no seu mouse. Bem, aqui está algo que eles vão aprender algum dia se eles tiverem uma alma: “Não há romance em um click de mouse”. Não há beleza em ficar sentado por horas jogando video games (alguém orgulhoso disso vai parar de ler agora e publicar sua opinião no fórum mais próximo). A tela de um iPhone é conveniente, mas não se compara com a exibição de um filme em 70 mm em um cinema. A internet é bidimensional…útil e divertida, mas não substitui uma interação cara a cara com um ser humano. Mas todos sabemos tudo isso, certo? Bem, sabemos mesmo? Talvez sabemos tudo isso, mas, e daí?

Vamos acordar uns aos outros.

O mundo não parou de girar. Lá fora, pessoas ainda estão se encontrando cara a cara, trocando ideias e estão se conectando. Casas de arte estão exibindo filmes, pessoas estão tomando café e contando histórias, mulheres e homens estão se confundindo e lojas de discos estão vendendo discos cheios de uma essência que você ainda não sentiu. Então, qual o motivo de nós nos escondermos em nossas cavernas e nos contentarmos com o eco? Nós sabemos melhor. Nós deveríamos, pelo menos. Nós precisamos nos reeducar sobre a interação humana e sobre a diferença entre fazer o download de uma música em um computador e falar com outras pessoas pessoalmente e se conectar com a música que você pode segurar em suas mãos e compartilhar com os outros. O tamanho, a forma, o cheiro, a textura e o som de um disco de vinil: “Como você explica para um adolescente que não conhece que isso é uma experiência musical mais bonita do que um click de mouse?”. Você precisa levantar a sua bunda, você precisa pegá-lo pelo braço e levá-lo lá. Você precisa por um disco nas mãos dele. Você precisa fazer com que ele deixe a agulha cair no disco. Assim ele vai saber como é.

Vamos acordar uns aos outros.

Como Embaixador do Record Store Day de 2013, eu estou muito orgulhoso em ajudar, de qualquer maneira, a revigorar quem quer que ouça com a ideia de que há mais beleza e romantismo no ato de visitar uma loja de discos e se transformar em algo novo que pode mudar o jeito das pessoas olharem o mundo, olharem as outras pessoas, olharem a arte e, por último, olharem para si.

Vamos acordar uns aos outros.

Jack White

Navegação de Posts

%d blogueiros gostam disto: